10 erros de inglês frequentes em processos seletivos

Escrito por Lígia Crispino, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e da ProfCerto.

Faço muitas avaliações orais em inglês para processos seletivos e também para definição do nível de proficiência de nossos alunos. Este ano, até junho, já foram quase 200 pessoas avaliadas. Além de constatar que muitas pessoas possuem apenas noções básicas do inglês, há erros comuns entre os avaliados.

Juntamente com a avaliação oral, faço o mapeamento do histórico de cada um, aí fica fácil entender porque o Brasil só tem cerca de 4% da população fluente em inglês. Muitos brasileiros não colocam prioridade no aprendizado do inglês, começam a estudar e param antes de chegar ao final do primeiro estágio do curso.

Depois quando decidem voltar, vão para outra escola e também não dão continuidade. Eles têm iniciativa, mas carecem de “acabativa”, de disciplina para manter a regularidade no estudo e de pensar muito além da realidade em que vivem. A sorte só vem para quem está preparado para as oportunidades que surgem.

A maioria desses erros tem a interferência do português. Estudar ou usar inglês regularmente auxilia na retenção e automação de vocabulário e estruturas. O cérebro passa a entender e registrar os parâmetros de comunicação dessa língua estrangeira, que são diferentes da língua materna.

size_810_16_9_erros

Abaixo, alguns dos erros que mais ouço dos avaliados e que foram cometidos por pessoas de diferentes níveis. Para facilitar, eu os contextualizei :

1) I have difficult to understand the American people.
2) I use to wake up at 6 am every day.
3) I worked for another companies.
4) It is important the customers understand the change.
5) They bought modern equipments for the factory last month.
6) The focus is in excellence.
7) Depends of the situation.
8) To complain about the crisis doesn’t solve the problem.
9) São Paulo it’s a huge city.
10) I don’t have the informations I need.

Correções :

1) It’s difficult for me to understand the American people.
Difficult – adjetivo, quer dizer difícil.
Difficulty – substantivo, quer dizer dificuldade.
2) I’m used to waking up at 6 am every day.
Used to (past habit) – I used to play the drums.
To be used to (present habit) – I’m used to playing the drums.

3) I worked for other companies.
Other – outro, outra, outros, outras (singular e plural).
Another – um outro, uma outra (singular).
Others – só é usado quando não tem nenhum substantivo junto. Também é usado no singular. Exemplos :
Where are the others?
Where are the other employees ?

4) It’s important for the customers to understand the changes.
Esta estrutura é forma por It’s + adjetivo + for … + to (verbo). Outro exemplo : It’s necessary for the students to study for the test.

5) They bought modern equipment for the factory in Americana last month.
A palavra equipment não é usada no plural.

6) The focus is on excellence.
A preposição é diferente do português.

7) It depends on the situation.
Em português, é muito comum usar esta frase com sujeito oculto, mas em inglês não existe sujeito oculto. Então, temos de usar ‘it’. Além disso, a preposição em inglês é diferente da usada em português.

8) Complaining about the crisis doesn’t solve the problem.
Quando um verbo é utilizado como sujeito, ele precisa estar no gerúndio (-ing) em inglês, diferentemente do português, pois usamos o infinitivo.

9) São Paulo is a big city.
Na frase original, havia dois sujeitos São Paulo e ‘it ‘. Não dá para usar desta forma, pois fica redundante.

10) I don’t have the information I need.
Information não é usada no plural.

Fonte: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/10-erros-de-ingles-frequentes-em-selede-emprego

Postado em: 9 jul 2015 com 0 comentários e 1.268 visitas

Comentários para este post.
Quero comentar »

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Top